logomarca

As Mais Tocadas

  • 1
    Álisson e Neide Paulo e Silas
    Álisson e Neide Paulo e Silas
  • 2
    Nany Azevedo Eu confiarei
    Nany Azevedo Eu confiarei
  • 3
    Samuel Mariano Nem adiantou
    Samuel Mariano Nem adiantou
  • 4
    Jô Cardoso É na marcha que você vence
    Jô Cardoso É na marcha que você vence
  • 5
    Rone Glórias para Jesus
    Rone Glórias para Jesus
  • 6
    Jonas Vilar Olha a frente
    Jonas Vilar Olha a frente
  • 7
    Marquinhos Gomes Não morrerei
    Marquinhos Gomes Não morrerei
  • 8
    Pra. Ludimila Ferber Nunca pare de lutar
    Pra. Ludimila Ferber Nunca pare de lutar
  • 9
    Aline Barros Ressuscita-me
    Aline Barros Ressuscita-me
  • 10
    Thalles Jesus me achou
    Thalles Jesus me achou

Acompanhe-nos

Visitantes


Você é o visitante número 35220 .

Estudo diz que 1% da população possui metade da riqueza mundial

imprimir tamanho da letra: A- normal A+
Apenas 1% da população do planeta possui nada menos do que a metade da riqueza mundial, destacou um novo estudo que mostra o fosso crescente entre os ricos e o resto dos cidadãos.
De acordo com o Relatório de Riqueza Global de 2017, preparado pelo Instituto de Pesquisa do Credit Suisse, que foi lançado na última terça-feira, as pessoas mais ricas do mundo viram sua fortuna subir de 42,5% no auge da crise financeira, que começou em 2008, para 50,1% em 2017.
"A participação de 1% seguiu uma tendência ascendente desde a crise, superando o nível de 2000 em 2013 e atingindo novos picos durante todos os anos desde então", apontou o relatório.
Comparando os ganhos de riqueza entre países, os Estados Unidos continuam a liderar. Após a crise financeira, o país continuou sua série de vitórias ininterrupta e adicionou US$ 8,5 trilhões para a riqueza mundial.
+ Estudo diz que 1% da população possui metade da riqueza mundial
Em contraste, o relatório apontou que a desigualdade continuou a aumentar no mundo. A riqueza caiu novamente este ano na África, na região da Ásia-Pacífico e na América Latina, e as previsões para os próximos cinco anos não são favoráveis.
De acordo com o estudo, a riqueza mundial continuará a crescer a uma taxa semelhante à da última metade da década e deverá atingir US$ 341 trilhões até 2022.
Espera-se que as economias emergentes gerem riqueza a uma taxa mais rápida do que os seus pares desenvolvidos, e provavelmente alcançarão uma participação de 22% na riqueza global no final do período de cinco anos.
A riqueza é um componente chave do sistema econômico, especialmente na aposentadoria, e para reduzir a vulnerabilidade a choques como desemprego, doenças ou desastres naturais. com informações do Sputnik.
Deixe seu comentário
Sem comentários cadastrados.
 

Peça sua música

x

Faça aqui o seu pedido musical para o locutor atual: