logomarca

As Mais Tocadas

  • 1
    Álisson e Neide Paulo e Silas
    Álisson e Neide Paulo e Silas
  • 2
    Nany Azevedo Eu confiarei
    Nany Azevedo Eu confiarei
  • 3
    Samuel Mariano Nem adiantou
    Samuel Mariano Nem adiantou
  • 4
    Jô Cardoso É na marcha que você vence
    Jô Cardoso É na marcha que você vence
  • 5
    Rone Glórias para Jesus
    Rone Glórias para Jesus
  • 6
    Jonas Vilar Olha a frente
    Jonas Vilar Olha a frente
  • 7
    Marquinhos Gomes Não morrerei
    Marquinhos Gomes Não morrerei
  • 8
    Pra. Ludimila Ferber Nunca pare de lutar
    Pra. Ludimila Ferber Nunca pare de lutar
  • 9
    Aline Barros Ressuscita-me
    Aline Barros Ressuscita-me
  • 10
    Thalles Jesus me achou
    Thalles Jesus me achou

Acompanhe-nos

Visitantes


Você é o visitante número 143405 .

  • Você está em:
  • Página inicial »
  • Notícias »
  • Ataques a extremismos dominam penúltimo debate de presidenciáveis na TV

Ataques a extremismos dominam penúltimo debate de presidenciáveis na TV

imprimir tamanho da letra: A- normal A+
O penúltimo debate entre os candidatos à presidência da República foi marcado por ataques e críticas ao capitão reformado Jair Bolsonaro e aos anos do PT à frente do poder. Os presidenciáveis se encontraram na Rede Record, na noite deste domingo. Bolsonaro não participou do debate por ainda se recuperar da facada que sofreu no início de setembro, em Minas Gerais.
 
Para o candidato do PDT, Ciro Gomes, as eleições de 2018 se assemelham às de quatro anos atrás pela questão da intolerância.
 
“Nenhum país do mundo suportará o desdobramento que nós estamos visualizando pelo menos como ameaçar à sociedade brasileira. O Brasil, é bom que a gente lembre, em 2014, teve uma eleição assim, rachada. O outro lado não reconheceu o resultado das eleições e há quatro anos o Brasil não para para discutir a massa de desempregados”.
 
Henrique Meirelles, candidato do MDB, ressaltou que é preciso retomar a confiança de investimento no Brasil para a retomada do crescimento.
 
“Os radicais tentam se esconder do problema atrás do radicalismo. Nós precisamos é ter um política, primeiro, de entendimento. Alguém que seja capaz de conversar com todos os segmentos da sociedade brasileira. Segundo que tenha competência, que tenha resultado concreto para mostrar. Eu tenho resultado concreto a mostrar à população nas vezes que exerci cargo à frente da economia brasileira”.
 
Questionado por Guilherme Boulos a respeito de possíveis alianças com o atual governo, Fernando Haddad respondeu que vai buscar coligações com partidos que se identifiquem com a proposta de governo do PT.
 
“Acreditamos na democracia. Para nós não existe outro regime. E a democracia exige tolerância e diálogo. E não violência, não mão armada. Gostaria que cada brasileiro tivesse um livro na mão e uma carteira de trabalho assinada na outra. É com trabalho e educação que nós vamos sair dessa crise. No segundo turno, nós vamos verificar quais são as forças políticas mais próximas do nosso programa de governo, do qual nós não pretendemos abrir mão”.
 
Já Geraldo Alckmin se mostrou mais uma vez favorável à reforma política no Brasil. Para o tucano, há excessivo número de estatais no país.
 
“O Brasil não vai mudar sem as reformas. Se não nós vamos continuar nesse marasmo. E a primeira delas é reforma política. Nós não podemos ter 35 partidos políticos no Brasil. É evidente que precisa ter uma reforma política: número de ministérios; cargos comissionados; redução de estatais. São 146 empresas estatais. Um terço delas criada pelo PT”.
 
O candidato à presidência pelo Patriota Cabo Daciolo alegou que estar sendo vítima de um boicote para tirarem seu nome do debate da TV Globo. Daciolo, que nas pesquisas de intenções de voto do Ibope e Datafolha aparece com 1%, citou a emissora carioca ao vivo no debate da Record TV.
 
“Já estão me boicotando para o próximo debate. Eu só tenho o dia de hoje para falar sobre a farsa política do país. Vocês são todos amiguinhos e estão jogando aqui uma partidinha de vôlei, um levanta e outro corta”, afirmou o candidato. Diferente das demais emissoras de televisão como Band, SBT, TV Aparecida, RedeTV! e Record TV, a TV Globo exige uma pontuação mínima de 5% como critério para convidar os presidenciáveis.
 
Em discurso acalorado, no qual lembrava o sofrimento do povo brasileiro, a carência pela qual o país passa em não oferecer nem saneamento básico para toda população, o candidato declarou: “Os senhores precisam aprender a amar o próximo. Os senhores nunca viram o que o povo passa. Da próxima vez eu vou trazer um óleo de peroba aqui, para honra e glória do senhor Jesus”.  Na mesma hora, a frase começou a ganhar repercussão no twitter.
 
O último debate entre os presidenciáveis será na próxima quinta-feira (4), na Rede Globo. O primeiro turno das eleições está marcado para o dia 7 de outubro.
 
Com informações do Catraca Livre
 
Deixe seu comentário
Sem comentários cadastrados.
 

Peça sua música

x

Faça aqui o seu pedido musical para o locutor atual: